junho 18, 2017

Sumon

Eu vim de Bangladesh por causa de problemas políticos. Eu apoio a oposição ao partido atual, que está no poder, e está reprimindo as vozes dissidentes. As execuções extrajudiciais são comuns, e o líder do nosso grupo de oposição desapareceu e outros foram detidos. As pessoas começaram a fugir de suas aldeias quando o atual partido assumiu o controle. Este partido manipulou as eleições e impediu os outros grandes partidos de participar. Se nos manifestamos, a polícia joga gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes, nos prende e nos leva aos tribunais com acusações falsas. Mesmo a mídia é controlada pelo governo. Muitas formas alternativas de jornalismo são proibidas. O que está acontecendo não é resultado do Islã ou de outra religião. É ideologia pura para manter o poder. Eu era um estudante em Bangladesh e participei ativamente da política. Minhas ações criaram problemas e eu fiquei com medo de morrer.

Eu fugi e cheguei primeiro na África do Sul, que também tem problemas políticos, antes de vir ao Brasil. Me sinto melhor aqui, o povo é muito amigável. Claro, há a crise econômica, mas temos que viver nossas vidas e pagar as contas. Eu estava em outros países e senti a discriminação contra os bengalis. Eu vi o preconceito em outros países quando as pessoas nos vêem como muçulmanos e possíveis terroristas ou terroristas suicidas, mas eu não vi isso no Brasil – não é um problema aqui. A maioria de nós que viemos do Bangladesh chegamos há quase 5 anos, mas ainda a nossa comunidade de Bangladesh não é grande. Acho que há 5.000 em São Paulo, e a maioria vive no Brás, onde vendemos tipos diferentes de têxteis. Os brasileiros geralmente não têm um bom conhecimento de nossa comunidade, mas é compreensível. Vivemos quase exclusivamente em um bairro, tem poucas cidades brasileiras que têm imigrantes ou refugiados do Bangladesh. Quando as pessoas me perguntam de onde eu sou, digo que sou bengali e imediatamente perguntam onde fica Bangladesh no mapa.

Uma parte da minha família fugiu para Mali, então envio dinheiro. Ainda tenho família em Bangladesh, também, e temo por eles. Eu me sinto seguro, mas não sei sobre a situação deles. Talvez, se o governo não conseguir me encontrar, poderá machucar minha família como compensação. Ainda estou tentando obter o meu RNE do governo brasileiro para que eu possa solicitar a Policia Federal para trazer minha família. Graça a Deus que tenho contato com minha família pela internet, mas não podemos falar por telefone devido às preocupações de segurança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *